VOLUME 22 - EDIÇÃO 68 Maio/ Ago - 2005

Editorial
Artigo Original

2 - As preocupações dos estudantes universitários: um estudo exploratório

The concerns of the university students: an exploratory study

Antonio Wilson Pagotti; Giuliano Antonio de Godoy Pagotti

Rev. Psicopedagogia 2005;22(68):94-104

Resumo PDF Português

O presente estudo teve como objetivo identificar e analisar, em estudantes universitários do curso de Psicologia, as preocupações quanto a própria família, educação, conflitos emocionais, laços afetivos, segurança pessoal, saúde, estética, sexualidade e política. Para o levantamento dos dados foi adaptado o instrumento desenvolvido por Günter. Os resultados mostram alto índice de preocupações em áreas como educação, conflitos emocionais, laços afetivos, estética e política. Os dados revelam situações problemáticas que apontam para a necessidade de melhor preparação das instituições de ensino, principalmente professores e suporte psicopedagógico, para a orientação dos jovens universitários.

Artigo Especial
Artigo de Revisão

6 - Conductas de aprendizaje en el aula: la siguiente generación de evaluación e intervención

Learning behaviors in the class: the next generation of evaluations and intervention

Cesar Merino Soto; Barbara A. Schaefer; Frank C. Worrell

Rev. Psicopedagogia 2005;22(68):148-153

Resumo PDF Português

En el presente documento, discutimos el papel tradicional que ha tenido la inteligencia en al evaluación del rendimiento académico, considerando su influencia predictiva. Los actuales enfoques señalan nuevas y potenciales rutas de evaluación, con un adecuado balance entre el costo y beneficio del uso de nuevos instrumentos. Como ejemplo de la importancia de las conductas de aprendizaje en el aula y su exitoso papel predictivo del rendimiento escolar, describimos recientes hallazgos sobre un instrumento para medir tales conductas. Finalmente, se discutimos sobre los efectos moderadores de variables contextuales sobre las conductas de aprendizaje.

7 - A prevenção dos problemas de aprendizagem e as capacidades e competências mínimas para a participação produtiva no século XXI

The prevention of learning disturbs and the basic skills to a productive participation at XXI century

Marcelo Chelminski Barreto; Monique Antunes de Souza Chelminski Barreto

Rev. Psicopedagogia 2005;22(68):154-161

Resumo PDF Português

As habilidades de ler, escrever e calcular não são mais suficientes para se caracterizar um indivíduo apto a ter participação produtiva no século XXI. Atualmente, é necessário muito mais do que isso, pois a sociedade moderna oferece e exige o domínio de habilidades necessárias para a utilização de sofisticados recursos tecnológicos que já fazem parte do habitat humano. Recursos como os computadores, Internet, telefone celular, televisão, entre outros, estão acessíveis à expressiva parcela da população, que a cada dia vem se inserindo mais precocemente nesse mundo digital. Em contrapartida, também é necessário o desenvolvimento da capacidade de se comunicar e se relacionar com pessoas de diferentes origens e hábitos culturais, uma vez que a globalização vem encurtando distâncias e aproximando as pessoas. Assim, a atuação do psicopedagogo deve se adequar às novas necessidades da educação e a sua repercussão no modelo de ensino-aprendizagem, visando ao desenvolvimento de capacidades e competências mínimas para a participação produtiva no século XXI. Esta pesquisa teve como objetivo destacar a função preventiva do psicopedagogo atuando nas escolas, junto aos professores e à família e considerando as novas exigências educacionais relacionadas nos "Códigos da Modernidade", de Toro, as "sete inteligências", relacionadas por Gardner e "o que é preciso aprender antes de entrar na escola", conforme referido por Goleman. Concluiu-se pela necessidade de uma nova postura do psicopedagogo para o desenvolvimento de seu trabalho preventivo frente aos problemas de aprendizagem decorrentes desse novo modelo.

8 - Um olhar psicopedagógico sobre a velhice

Psychopedagogical view on the old age

Maria Lourdes Bortolanza; Simone Krahl; Felipe Biasus

Rev. Psicopedagogia 2005;22(68):162-170

Resumo PDF Português

Este artigo apresenta uma reflexão sobre a ação psicopedagógica junto à velhice, a partir de experiências com grupos de idosos e de um diagnóstico sobre a estrutura e funcionamento dos mesmos. Este diagnóstico partiu de uma pesquisa exploratória, da qual participaram 17 coordenadores de grupos de idosos. Os resultados apontaram para alternativas de ações educativas mais adequadas. Nesse sentido, o presente artigo destaca o papel do psicopedagogo na mediação do processo permanente de aprendizagem do ser humano. Procura mostrar que a velhice é uma etapa para viver, conviver, apropriar-se de outras razões, reinvestindo, assim, em novas situações de ação e de aprendizagem. Para tanto, busca dimensionar a ação do psicopedagogo, articulado com profissionais de áreas afins, no sentido de aceitar, respeitar e legitimar a história do idoso, reconhecendo sua experiência, sua sabedoria e suas perspectivas existenciais, investindo na produção de conhecimentos e na ação gerontológica.

9 - El lugar del cuerpo de los alumnos en el aprendizaje áulico: impronta de dos modelos

The place of the body of the pupils in the learning aulico: stamp of two models

Marta Busani; Maria Cristina Fossati

Rev. Psicopedagogia 2005;22(68):171-179

Resumo PDF Português

Este artículo constituye un reporte parcial de una investigación realizada por las autoras y su equipo, en la que se indagó el grado de articulación entre las estrategias de pensamiento del alumno y las prácticas de aprendizaje y evaluación en el aula, en el nivel primario. En dicha indagación se adoptó una posición teórica que concibe al alumno como cuerpo/sujeto, es decir, constituido subjetivamente a partir de las inscripciones que se registran en su cuerpo desde la historia constitutiva singular y el contexto socio-cultural y político, el que a su vez, a través de los discursos y acciones - pequeños movimientos, pequeñas estrategias - reconstruye significados instituidos en una dirección hegemónica. Esa construcción instaura - en los alumnos - formas homogéneas de aprender y relacionarse con los conocimientos que la escuela le ofrece, particularmente a través de una concepción cognitiva del aprendizaje, predominante en las escuelas argentinas. En nuestra concepción, el cuerpo ocupa un lugar de relevancia, por cuanto se lo comprende como lugar de manifestación de su subjetividad y de su capacidad de construir conocimientos y de significar la realidad cultural de la cual intenta apropiarse. El abordaje metodológico fue cualitativo. Se realizaron observaciones no participantes en el aula de clase y entrevistas semiestructuradas a los docentes responsables de los cursos observados. A los niños se les realizó entrevistas clínicas individuales.