VOLUME 22 - EDIÇÃO 69 Set/ Dez - 2005

Editorial
Artigo Original

2 - Educação sexual para estudantes surdos

Sex education for deaf students

Luiza Elena Leite Ribeiro do Valle

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):186-192

Resumo PDF Português

Educação sexual talhada para alunos surdos torna-se criticamente importante com o objetivo de prevenir futuros problemas. Vinte e quatro questões foram selecionadas de um recente estudo feito por Zagury (2002) para dar suporte a projetos de educação sexual de surdos, oferecendo informações relacionadas com o assunto para ajudar professores e pais nesse tema. O objetivo é introduzir a necessidade de pesquisas sobre o problema e dividir os resultados. Como introdução da presente pesquisa é importante apresentar um breve histórico sobre as perspectivas dos surdos e deficientes auditivos graves. Apesar de muitos alunos surdos, por causa de seu déficit de linguagem, poderem ser emocionalmente e socialmente imaturos enquanto fisicamente amadurecidos, eles gostam de se comunicar e precisam de suporte em educação sexual, tanto quanto a maioria dos jovens ouvintes. A falta de orientação ao surdo na conduta sexual pode ter um impacto negativo em seus relacionamentos, já que eles são curiosos, têm as mesmas dúvidas, necessidades e muito mais dificuldade em encontrar respostas. Embora muito maiores mudanças sejam ainda desejáveis para incluir o surdo na sociedade, espera-se que a educação sexual possa ser uma chave para reduzir o risco de rupturas nas famílias, aumento de confiança, encorajamento nos relacionamentos, redução de tristeza, contribuindo para sua qualidade de vida.

3 - Diagnóstico inicial: violência doméstica, motivo de consulta e indicação de tratamento psicopedagógico

Initial diagnosis: family violence, motive of consulting and indication to psychopedagogic treatment

Iara Abreu Wrege

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):193-202

Resumo PDF Português

Este trabalho traz reflexões sobre a Psicopedagogia voltada à saúde, especificamente dentro de um contexto de centro de saúde público. Considerando-se o Diagnóstico Inicial como um procedimento fundamental para a eficiência da intervenção clínica, é exposta a prática clínica desenvolvida na Equipe Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e uma pesquisa de campo sobre o Diagnóstico Inicial. Nesta pesquisa, pretende-se contribuir para a complexidade do Diagnóstico Inicial como um procedimento para identificar a Violência Doméstica e para definir a especificidade do tratamento em Saúde Mental. Pondera-se a relação do Motivo de Consulta, explicitado pela família, com a Violência Doméstica sofrida pela criança ou adolescente. Constatou-se que a identificação da Violência Doméstica não é fácil e que o Motivo de Consulta, especialmente ligado às questões de aprendizagem, não é o determinante para a indicação de tratamento psicopedagógico. Além disso, da pesquisa emerge a necessidade de o psicopedagogo promover uma escuta clínica, durante o diagnóstico e o tratamento psicopedagógico e a necessidade do psicopedagogo capacitar-se trabalhar com uma visão mais abrangente sobre a aprendizagem.

4 - Contextualizando a vida: estudo sob o enfoque psicopedagógico com crianças e adolescentes pacientes de doenças hemato-oncológicas

Psychopedagogic study focused on children and adolescent patients of hemato-oncologic diseases

Fany Miriam Axelrud

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):203-214

Resumo PDF Português

O presente estudo buscou investigar, sob o enfoque psicopedagógico, a aprendizagem de crianças e adolescentes com doenças hemato-oncológicas. Relacionei as questões estruturais que englobam a aprendizagem, isto é, organismo, corpo, inteligência e desejo, como necessárias ao sujeito no processo de construção do aprender. O enfoque utilizado levou-me em direção ao sujeito aprendente (paciente) na sua singularidade e a seus familiares. Pesquisei as fraturas e possibilidades diante da aprendizagem desses pacientes assujeitados pela doença, obrigados a se afastar do ambiente escolar, da convivência com os familiares e amigos. A Metodologia consiste na abertura de um espaço de escuta através da fala com os pacientes e familiares junto ao local de atendimento médico, por meio de entrevistas semidirigidas no mesmo local e pelo correio. Constatei que a Instituição Hospitalar e a Escolar trabalham de forma segmentada, gerando, nas crianças e adolescentes, comportamentos excludentes, como a presença de riscos de fracasso na aprendizagem, repetências e abandono escolar.

5 - O brincar e a aprendizagem: concepções de professores da educação infantil e do ensino fundamental

Playing and learning: the conceptions of child rearing and primary education's teachers

Cristina de Andrade Varanda; Érica Relvas Prudêncio; Márcia Cristina Portella Rocha Bidá

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):215-224

Resumo PDF Português

No processo de aprendizagem dos alunos de escola fundamental e educação infantil, as brincadeiras são oportunidades para a satisfação de algumas necessidades nesse processo. Entretanto, o papel que o professor desempenha é fundamental, tanto como um iniciador e mediador da aprendizagem, quanto como observador e avaliador dos processos ocorridos na aquisição de novos conceitos e conteúdos. Assim, essa pesquisa teve como objetivo conhecer e avaliar as concepções de professores de ensino fundamental e educação infantil sobre o brincar e a sua relação com a aprendizagem e as possíveis diferenças conceituais entre os dois grupos de professores sobre o tema. Utilizaram-se questionários abertos com o levantamento do tempo gasto nas brincadeiras, o material e locais utilizados, a direção e preferência por determinados jogos e o entendimento desses profissionais da relação entre as brincadeiras e o processo de aprendizagem.

Artigo Especial

6 - Psicopedagogia e transtornos psiquiátricos

Psychopedagogie and psychiatrical disturbs

Claudete Sargo; Suely Grimaldi Moreira

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):225-229

Resumo PDF Português

A partir de um relato de caso, propõe-se um modelo de atendimento psicopedagógico com crianças e adolescentes com Transtornos Psiquiátricos ou Distúrbios Globais do Desenvolvimento.

Artigo de Revisão

7 - Dificuldades de aprendizagem: dislexia e disgrafia na era da informação

Learning disorders: dyslexia and dysorthography in the age of information

Laura Monte Serrat Barbosa

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):230-242

Resumo PDF Português

A dislexia e a disgrafia, na visão da Epistemologia Convergente, de Jorge Visca, não são resultados diagnósticos, e sim unidades de análise, em três níveis: semiológico, que analisa o sintoma; patogênico, que investiga os mecanismos que provocam o aparecimento do sintoma; e etiológico, que analisa a dimensão histórica da dificuldade para ler ou escrever. Essa forma de avaliar as dificuldades de leitura e escrita considera também os aspectos da cultura que, nos dias atuais, caracterizam-se pela informação. A forma de processar e transmitir a informação obedece a paradigmas de uma visão neomecanicista que promovem, na linguagem escrita, uma série de modificações, inclusive uma pouca preocupação com os aspectos formais da língua. Pode-se dizer que os sintomas, antes considerados dificuldades específicas de aprendizagem da linguagem, hoje aparecem no processo de aprendizagem de um grande número de aprendizes. É preciso uma avaliação cuidadosa para distinguir um quadro de transtornos na leitura e escrita dos leitores e escritores produzidos pela cultura digital.

8 - A psicopedagogia na educação superior: contribuições da teoria piagetiana

Psychopedagogy in higher education: contributions of Piagetian theory

Eliane Giachetto Saravali

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):243-253

Resumo PDF Português

Este artigo tem por objetivo discutir as contribuições que a Psicopedagogia Clínica e Institucional podem oferecer à educação superior. Considerando-se o referencial piagetiano e as características do raciocínio operatório formal, o texto aponta para a necessidade de um ensino que priorize a evolução das etapas do desenvolvimento psicogenético, desde as séries iniciais. São apresentadas reflexões sobre as dificuldades de aprendizagem inerentes ao estudante universitário, bem como as formas de intervenção do psicopedagogo nos processos de aprendizagem no ensino superior. Procura-se evidenciar que a atuação psicopedagógica auxilia na efetivação de um ensino mais inclusivo e democrático, na medida em que contribui para a qualidade da permanência do estudante nesta etapa de ensino.

Relato de Pesquisa

9 - Sobre a possibilidade do jogo como mediador da aprendizagem do adulto

About the possibility oh the game as mediator of adult learning

Carolina Sophia Vila Zambotto; Marisa Irene Siqueira Castanho

Rev. Psicopedagogia 2005;22(69):254-268

Resumo PDF Português

A pesquisa se propõe a pensar sobre a possibilidade do uso do jogo como mediador da aprendizagem do adulto considerando as novas propostas de educação continuada e da educação para o terceiro milênio, especificamente no que concerne à aprendizagem de adultos. Baseia-se na psicologia sócio-histórica e apóia-se em teóricos que pensaram o jogo e o desenvolvimento humano em uma perspectiva histórica (Vygotsky) e dialética (Wallon). Trata-se de pesquisa bibliográfica que utiliza como estratégia metodológica um levantamento bibliográfico dos artigos, cujos títulos fazem referência às propostas de educação e processos de ensino-aprendizagem do adulto, com foco na educação para o terceiro milênio; às expectativas em relação ao homem dentro destas propostas e ao jogo como recurso para o desenvolvimento esperado. Selecionaram-se as publicações a partir de 1990 dos periódicos com conceito nacional A na última avaliação da ANPED e ANPEPP. A análise do conteúdo do material coletado é o recurso utilizado na busca de indicadores sobre a importância do jogo como mediador da aprendizagem do adulto. Os resultados mostram que a bibliografia sobre os jogos está desvinculada à da educação dos adultos, indicando que as relações esperadas ainda estão por ser construídas.

Ponto de Vista