VOLUME 21 - EDIÇÃO 66 Set/ Dez - 2004

Editorial
Artigo Original

2 - Desenvolvimento do raciocínio verbal de crianças carentes: a zona proximal de desenvolvimento

Development of the verbal reasoning within an interdisciplinary context

Maria Therezinha de Lima Monteiro

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):186-205

Resumo PDF Português

Três grupos de crianças (I, II, III), freqüentando a 2ª e a 3ª séries da escola pública do ensino fundamental do Distrito Federal, nível socioeconômico baixo (grupos I e II) e médio baixo (grupo III) foram submetidos a um estudo experimental, com pré-teste e pós-teste em 2001 e 2002, sobre a construção das operações num contexto interdisciplinar com o objetivo de desenvolver o raciocínio verbal de crianças carentes, ou seja, sua zona proximal de desenvolvimento. Os sujeitos foram escolhidos por conveniências ligadas à dinâmica escolar: o grupo I, de 24 sujeitos em 2001, entre sete e onze anos, contava com 30% de crianças morando em orfanato; o grupo II, com quatorze crianças em 2002, entre oito e onze anos, contou com sete crianças oriundas do grupo I em 2001, com quatro delas residindo no orfanato, submetidas a um acompanhamento longitudinal; o grupo III, com doze crianças em 2002, entre sete e doze anos, pertencia a um nível socioeconômico médio-baixo como grupo de controle. Neste estudo experimental, o pré-teste e o pós-teste foram desenvolvidos por meio da solução de problemas práticos, nos parâmetros das relações necessárias implícitas no raciocínio da criança, segundo Piaget. O tratamento psicopedagógico consistiu de atividades programadas segundo princípios ligados aos processos de assimilação, com traços psicogenéticos presentes na organização do comportamento exploratório da criança na segunda metade do segundo ano de vida, quando ela orienta-se por deslocamentos espaciais nas ordens direta e inversa na exploração do meio e dos objetos. Os resultados demonstraram desenvolvimento acentuado do raciocínio verbal em todos os grupos considerados como um todo, bem como nas sete crianças sob acompanhamento longitudinal. A prática interdisciplinar, com a criança construindo conceitos das operações lógico-aritméticas elementares, reconstruindo as experiências em níveis prático e verbal, por meio de sentenças matemáticas e da geração de relatórios e problemas escritos, demonstrou resultados significativos favoráveis ao pós-teste quando comparado ao pré-teste, apresentados nos moldes de uma pesquisa descritiva.

3 - Dificuldade na compreensão da leitura: uma abordagem metacognitiva

Difficulty in reading comprehension: a metacognitive approach

Luciana Vellinho Corso

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):206-215

Resumo PDF Português

Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa realizada junto a um grupo de alunos da 3ª série do ensino fundamental, da rede pública de Porto Alegre, com dificuldades na compreensão de texto. Foram desenvolvidas ações pedagógicas, que são estratégias cognitivas, com o intuito de possibilitar-lhes aprender a pensar e raciocinar sobre suas atividades de leitura, apoiando-se nas trocas entre pares, sob a mediação do pesquisador. O ensino das estratégias - trazendo indagações, idéias e sugestões - permitiu às crianças participantes deste estudo pensar sobre o que é lido e como agir diante de uma leitura em busca de significado.Temos nos dedicado à investigação nesta área já que um grande número de alunos não desenvolve, de forma natural e espontânea, as habilidades de compreensão da leitura, contribuindo para agravar a séria realidade de fracasso escolar que enfrentamos, pois compreender o que se lê é uma habilidade necessária e fundamental para todas as atividades escolares.

4 - A interação social das crianças com queixa de dificuldades de aprendizagem: reflexões para professores e psicopedagogos

The social interaction of children with suspected learning disabilities: reflections for teachers and psychopedagogues

Eliane Giachetto Saravali

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):216-224

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Investigar a posição sociométrica de alunos com dificuldades de aprendizagem na inter-relação com seus colegas de sala.
MÉTODO: Nossos sujeitos foram alunos de uma classe de 4ª série da rede pública do estado de São Paulo, indicados pela professora como sendo crianças com dificuldades de aprendizagem. O teste sociométrico objetivo foi aplicado no primeiro e no segundo semestre do ano letivo.
RESULTADOS: Os resultados apontaram para a baixa ou nenhuma escolha que as crianças com queixa de DA tiveram de seus colegas. Também foi analisado o histórico escolar da turma, bem como o julgamento que a professora faz em relação ao desempenho acadêmico e ao relacionamento interpessoal dos alunos. Os dados obtidos mostraram que nem sempre o julgamento da professora sobre o aluno coincide com a posição sociométrica que este ocupa no grupo, ressaltando a importância do teste sociométrico para um maior conhecimento das interações estabelecidas na sala de aula. Foi possível observar também que o julgamento que a professora faz do aluno com dificuldade de aprendizagem tem relação direta com o número de escolhas que este aluno obtém no teste sociométrico.

Artigo Especial

5 - Rumos da psicopedagogia brasileira

Direction of the "Psychopedagogy" in Brazil

Edith Rubinstein; Marisa Irene Castanho; Neide de Aquino Noffs

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):225-238

Resumo PDF Português

Este artigo versa sobre os temas elencados pelo Conselho Nacional da ABPp como objeto de pesquisa e estudo, os quais referem-se aos Rumos da Psicopedagogia no Brasil. Foram eleitos seis subtemas: (1) Histórico das bases teóricas; (2) Formação; (3) Conceito/idéia que os profissionais de áreas afins têm sobre o psicopedagogo e a Psicopedagogia; (4) Levantamento dos instrumentos de avaliação e intervenção; (5) Análise do objeto de estudo e pesquisa do psicopedagogo; (6) Situação presente da regulamentação da profissão. Neste artigo serão tratados os tópicos 1 ( um); 2 (dois) e 6 (seis).

Relato de Pesquisa

6 - Brincar e narrar: possibilidades de organização da experiência

Playing and telling stories: possibilities to organize the experience

Leda Maria Codeço Barone

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):239-244

Resumo PDF Português

Através da utilização de uma atividade denominada de Imaginação, a autora propõe estudar a função terapêutica do narrar-brincar. Tal atividade constitui-se na realização, pelo paciente, de desenhos que comporão um livro, a partir de uma história contada pelo terapeuta. No trabalho, a autora concebe a narrativa na perspectiva de Walter Benjamin, de transmissão e organização da experiência. Salienta o duplo sentido apontado por Benjamin da palavra Spielen (brincar e representar), em que a essência da representação e da brincadeira é "fazer sempre de novo" o que permitirá transformar em hábito uma experiência devastadora. Assim, no exemplo apresentado, foi possível ao paciente, a partir da repetição da situação traumática, encontrar outro destino. Aproxima a visão benjaminiana da proposta de Winnicott que coloca em relevo a função terapêutica do brincar.

Relato de Experiência

7 - Diagnósticos em psicopedagogia

Diagnostics in Psychopedagogy

Sônia Moojen

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):245-255

Resumo PDF Português

Um modelo de diagnóstico psicopedagógico é proposto com base na diferença entre Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem. No que tange às Dificuldades de Aprendizagem, dois tipos de problemas são levados em conta: A) os naturais e/ou de percurso: dificuldades que todos os indivíduos experimentam em algum momento de sua vida escolar e/ou conteúdo disciplinar, e B) as dificuldades secundárias a outros distúrbios: deficiência mental ou sensorial, assim como aquelas causadas por quadros neurológicos mais graves ou transtornos emocionais significativos. Transtornos de Aprendizagem, conforme o CID-10 e o DSM-IV, abrangem aqueles casos manifestados por um comprometimento específico e significativo na leitura, escrita e matemática -substancialmente abaixo do esperado para sua idade, escolarização ou nível de inteligência - e que não sejam resultado direto de outros transtornos. Dificuldades de Aprendizagem e Transtornos de Aprendizagem podem ocorrer simultaneamente. A avaliação psicopedagógica deve ser a mais abrangente possível e realizada no mais curto prazo. Alguns casos requerem um período de tratamento psicopedagógico para que um diagnóstico mais abalizado possa ser efetuado ou, ainda, necessitam de uma complementação através de uma avaliação psicológica e/ou neurológica.

Artigo de Revisão

8 - Consultoria em avaliação de desempenho: uma área de atuação do psicopedagogo

Consulting in management and performance assessment: a work field for psychopedagogue

Helena Correa Tonet

Rev. Psicopedagogia 2004;21(66):256-268

Resumo PDF Português

O artigo focaliza um novo papel a ser assumido pelo psicopedagogo, o de consultor em avaliação de desempenho do professor. A proposta decorre do entendimento de que o psicopedagogo, devido à formação que recebe, terá condições de agir como consultor para viabilizar a construção e manutenção de sistemas de avaliação de desempenho. Decorre, também, da visão da necessidade apresentada pelo professor de receber "feedback" sobre desempenho e orientações para melhor atender as demandas profissionais que lhe são impostas pelo mutável mundo contemporâneo. O artigo pretende contribuir para o alargamento do espaço profissional do psicopedagogo, levando-o a desenvolver uma nova competência e, ao mesmo tempo, garantir ao professor o suporte de um sistema de avaliação de desempenho que efetivamente promova seu desenvolvimento profissional e pessoal. Para tanto, apresenta o sistema de avaliação de desempenho como um recurso para estimular mudanças necessárias, reduzir erros, induzir desempenhos novos e criativos, e melhorar resultados, tanto humanos quanto organizacionais. Além disso, o texto faz críticas aos métodos tradicionais usados para avaliar desempenho e apresenta como alternativa o método Portfólio de Desempenho, apropriado para documentar, estimular e avaliar o desempenho profissional. Sua elaboração, entretanto, não é simples, exige clareza de objetivos, discernimento na escolha de itens a considerar, e experiência na hora de definir o que deve ou não ser incorporado. Essa complexidade induz à proposta de que o psicopedagogo assuma o papel de consultor para a elaboração de portfólios de desempenho de professores.

Resenha