VOLUME 24 - EDIÇÃO 73 Jan/ Abr - 2007

Editorial
Artigo Original

2 - Avaliação do processamento auditivo em crianças com dificuldades de aprendizagem

Evaluation of auditory processing in children with learning difficulties

Angela Ribas; Marine Raquel Diniz da Rosa; Karlin Klagenberg

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):2-8

Resumo PDF Português

A presente pesquisa teve por objetivo estudar a relação entre o processamento auditivo e a dificuldade de aprendizagem. Foram selecionadas 50 crianças, em faixa etária de 8 a 15 anos, portadoras de dificuldade de aprendizagem e que, na avaliação audiológica periférica, apresentaram limiares auditivos dentro da normalidade. Estas crianças foram submetidas a anamnese específica e à avaliação central da audição. Observou-se que 88% da amostra apresentaram alteração do processamento auditivo, e a classificação dos resultados revelou: quanto ao grau, 40% da amostra tiveram alteração leve, 32%, alteração moderada e 16%, alteração severa do processamento; quanto ao tipo, 16% tiveram dificuldade em organização, 12%, em codificação, 20%, em decodificação e 40%, dificuldades em uma ou mais categorias. Estes dados sugerem grande relação entre audição e aprendizagem.

3 - O portfólio e a autoria de pensamento: um estudo na Psicopedagogia

The portfolio and the authorship of thought: a study in the Psychopedagogy

Jurema Nogueira Mendes Rangel; Mirian Garfinkel

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):9-17

Resumo PDF Português

Este trabalho analisa o uso do portfólio no curso de especialização em Psicopedagogia, visando ao processo de construção da autoria de pensamento. As contribuições de Fernández, Andrade, Foucault, Freire, Orlandi sobre autoria e Villas Boas e outros sobre portfólio serviram de suporte teórico para um estudo de caráter qualitativo de uma pesquisa-ação, em que o questionário foi o instrumento de coleta de dados aplicado a 24 alunos de uma universidade particular, em 2005. Os resultados demonstram o desconhecimento dos alunos a respeito do portfólio; o entendimento do portfólio, inicialmente, voltado para a avaliação e o reconhecimento de que o portfólio auxilia a construção da autoria de pensamento. Conclui-se que o portfólio contribui para a formação de profissionais capazes de pensar com autonomia, necessitando ser implementado nos cursos superiores.

4 - Correlação entre a queixa do professor e a avaliação psicológica em crianças de primeira série com dificuldades de aprendizagem

Correlation between teacher's complaint and psychological evaluation in children of first grade with learning difficulties

Delia Izaguirre Torres; Sylvia Maria Ciasca

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):18-29

Resumo PDF Português

Os objetivos deste trabalho foram de avaliar a queixa do professor em relação ao sistema de ensino, e correlacionar a queixa do professor com a avaliação psicológica de crianças com dificuldades de aprendizagem escolar. Participaram desta pesquisa 7 professores e 40 crianças, na faixa etária de 7 a 8 anos, alunos de 1ª série do 1º grau de duas escolas estaduais do município de Campinas (SP), divididas em dois grupos: Grupo A - 20 crianças sem dificuldades de aprendizagem e, Grupo B - 20 crianças com dificuldades de aprendizagem, classificadas segundo opinião dos professores participantes. Foram utilizados o Teste de desempenho escolar - TDE (Stein, 1994), teste gestáltico viso-motor (Sisto, 2005) e o Teste de Leitura e Escrita (Capellini, 2001). Com os professores, foi realizado questionário com seis questões abertas e o protocolo de caracterização do desempenho do aluno. Os resultados foram analisados por meio de estatística descritiva e índice de correlação, onde se observou que existem motivos concretos ligados às reais condições de trabalho que dificultam a melhor realização da prática docente. Os professores, neste grupo, atribuem as dificuldades de seus alunos a causas internas (orgânicas) ou das relacionadas à família. Encontraram-se altas correlações (superior a 70%) entre as avaliações do Desempenho Escolar pelo Professor (geral, leitura e escrita) e o TDE, moderada (inferior a 69%) entre a avaliação do Desempenho em Matemática pelo professor e o TDE e, baixas correlações significativas (p<0,05) entre as avaliações do Desempenho segundo o professor e o Teste gestáltico viso-motor.

5 - Desempenho cognitivo - lingüístico de escolares de 1ª a 4ª séries do ensino público municipal

Cognitive-linguistic performance of first to fourth graders in municipal public schools

Simone Aparecida Capellini; Claudia da Silva; Janaína Gonzaga; Marcela Tegeiro Galhardo; Priscila Cruvinel; Ian Smythe

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):30-44

Resumo PDF Português

OBJETIVOS: Caracterizar e comparar o desempenho de escolares de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental na adaptação brasileira do Teste de Desempenho Cognitivo - Lingüístico, versão coletiva e individual.
MÉTODO: Participaram deste estudo 130 sujeitos de 1ª a 4ª séries de ensino básico de escola pública municipal, de ambos os gêneros, com média etária variando de 7,5 anos a 10,5 anos de idade. Como procedimento foi utilizada a adaptação brasileira do Teste de Desempenho Cognitivo-Lingüístico.
RESULTADOS: Os resultados evidenciaram que a velocidade de acesso ao léxico mental está diretamente relacionada com a habilidade de consciência fonológica, memória e trabalho e de leitura e escrita, pois os escolares que apresentaram dificuldades no TDCL coletivo apresentaram alteração em tarefas de nomeação e memória visual (repetição de seqüências de figuras acima de 2), reversibilidade (percepção de detalhes em figuras e contagem regressiva) e consciência fonológica (rima e aliteração) independentemente da seriação, evidenciando a ocorrência de relação entre as habilidades de consciência fonológicas, memória, leitura e escrita sob ditado.
CONCLUSÃO: A consciência fonológica e a leitura e escrita são processos que se desenvolvem e se fortalecem mutuamente, pois os estágios iniciais da consciência fonológica (consciência de rimas e sílabas) contribuíram para o desenvolvimento inicial do processo de leitura. Entretanto, as dificuldades no uso das habilidades de nomeação automatizada rápida, habilidade fonológica e memória geram problemas de aprendizagem perceptível na criança em relação ao grupo-classe.

Artigo Especial

7 - Cinema e Psiquiatria: Filmes para o ensino da Psiquiatria

Cinema and Psychiatry: movies for teaching Psychiatry

Herberto Edson Maia; Leonardo Leiria de Moura da Silva; Nadima Vieira Toscani; Rodrigo Grassi de Oliveira

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):50-55

Resumo PDF Português

O ensino da Psiquiatria para estudantes de Medicina tem sido discutido e aprofundado nos últimos anos. Filmes cinematográficos podem ser úteis em tal atividade, à medida que consideramos a capacidade metafórica que determinada obra pode proporcionar nos indivíduos. Baseado nessa capacidade, foi criado o Cinepsiquiatria, uma nova metodologia de ensino da disciplina de Psiquiatria, empregada desde 1994, na Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre - FFFCMPA. O objetivo deste trabalho é relatar a metodologia didática que vem sendo empregada no ensino da Psiquiatria nesta faculdade. Para o desenvolvimento do projeto, um grupo de estudantes (comissão organizadora) reúne-se para discutir tópicos em psiquiatria previamente selecionados por um docente (coordenador) da disciplina. Esta comissão fica responsável pela escolha de tópicos constituídos em módulos de ensino, ilustrados por meio de filmes cinematográficos, que são posteriormente projetados para os estudantes participantes. Após cada "sessão", um docente ou convidado especializado no tema discute aspectos relevantes do tema e sua inserção no filme, juntamente com os alunos, ilustrando com as imagens recém-assistidas o conteúdo teórico a ser ensinado. O insight potencial de filmes cinematográficos pode ser uma útil e prática ferramenta no ensino e aprendizado da Psiquiatria. Da mesma forma, esta nova metodologia pode ser aplicada na prática clínica como adjuvante no esclarecimento e terapêutica de alguns pacientes.

Artigo de Revisão

8 - Um pouco de história: uma abordagem psicológica e outra, psicanalítica da aprendizagem e seus problemas

A bit of history: psychological and analytical approaches to learning disabilities

Silvia Szterling Munimos

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):56-67

Resumo PDF Português

O presente trabalho busca circunscrever o campo psicopedagógico, remontando às suas origens e desdobramentos por diferentes caminhos práticos e conceituais. Nesse apanhado histórico da Psicopedagogia, procura identificar certas regularidades na diversidade de enquadros clínicos existentes, diferenciando basicamente as clínicas reeducativas, que trabalham com uma concepção psicológica de indivíduo, objetivado num corpo, com suas "deficiências" cientificamente mensuráveis e passíveis de padronização, de outras práticas clínicas que, por meio de sua particular concepção de sujeito suporte das aprendizagens, sustentam a impossibilidade de "controlar", "estimular" ou "desenvolver" à vontade as aprendizagens naqueles que não aprendem, justamente porque consideram a dimensão imponderável do desejo inconsciente.

9 - Uma visão psicopedagógica do bullying escolar

Bullying in schools: a psychopedagogical vision

Anna Carolina Mendonça Lemos

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):68-75

Resumo PDF Português

O bullying escolar é uma forma de agressão velada dentro da instituição educacional, que acarreta danos, freqüentemente irreversíveis, na vida global dos envolvidos, de modo a destruir-lhes a saúde, psicológica e física. Além de conseqüências como rebaixamento da auto-estima, depressão e marginalização, pode estimular desejos (e atitudes) de suicídio e assassinato. Portanto, merece intervenção de áreas profissionais distintas, preferencialmente em uma atuação em equipe, na qual também participam a família e a escola. A Psicopegagogia, institucional e clínica, pela sua parcela de participação, objetiva resgatar o desejo de aprender perdido da vítima, do agressor e dos espectadores do fenômeno. Portanto, o presente estudo visou desenvolver uma ligação entre o bullying e a teoria psicopedagógica, a fim de possibilitar o desenvolvimento de uma intercessão entre ambos, capaz de auxiliar profissionais, pais, interessados e envolvidos.

Relato de Experiência

10 - Dificuldades de aprendizagem e atrasos maturativos - atenção aos aspectos neuropsicomotores na avaliação e terapia psicopedagógicas

Learning difficulties and maturative delay - attention to the neuropsychomotor aspects in psychopedagogical evalution and treatment

Helena Vellinho Corso

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):76-89

Resumo PDF Português

O trabalho aborda as relações entre as dificuldades de aprendizagem e os atrasos maturativos. A revisão teórica procura explorar a natureza desta relação, ao mesmo tempo em que tenta estabelecer uma noção atualizada de maturação, que inclui em seu conceito o fator ambiental. Partindo de evidências clínicas, o estudo apresenta a evolução de três pacientes de psicopedagogia com perfil imaturo mediante o atendimento psicopedagógico. De um lado, a presença de um quadro de imaturidade inicial, nestes casos, ilustra e parece confirmar a relação entre a dificuldade de aprendizagem e atrasos maturativos. De outro lado, verifica-se, pela comparação dos gráficos que traçam o perfil neurológico do paciente antes e depois do atendimento psicopedagógico, o quanto uma terapia de aprendizagem integradora permite, concomitantemente com progressos na aprendizagem, a superação desses atrasos maturativos. O estudo busca a complementaridade da presente abordagem - que considera os aspectos neuropsicomotores da aprendizagem - com as que enfatizam, por exemplo, os aspectos vinculares e relacionais presentes no processo de aprender.

Ponto de Vista

11 - A Epistemologia da Psicopedagogia: reconhecendo seu fundamento, seu valor social e seu campo de ação. Comemorando os 15 anos da ABPp - Paraná Sul, 2006

The Epistemology of Psychopedagogy: acknowledging its fundaments, social value and scope of action. Celebrating ABPp - Paraná Sul's 15th Anniversary, 2006

Laura Monte Serrat Barbosa

Rev. Psicopedagogia 2007;24(73):90-100

Resumo PDF Português

Este é um estudo que buscou reflexões a partir das produções científicas divulgadas em alguns exemplares da Revista Psicopedagogia - nos últimos seis anos - dos temas propostos nos últimos três congressos brasileiros da ABPp, dos boletins informativos de algumas das Seções da ABPp e da experiência psicopedagógica discutida por um grupo de psicopedagogas de Curitiba, o qual se reuniu, em 2003, para pensar sobre o tema Epistemologia da Psicopedagogia. Apesar da Psicopedagogia ainda não possuir estatuto de ciência, pensar sobre a sua epistemologia é possível se considerarmos que esta refere-se ao estudo dos fundamentos, do valor social e do campo de ação de uma área do conhecimento. Os fundamentos mostrados no texto propõem ao leitor uma reflexão sobre o paradigma de conjunção que a filosofia atual coloca; sobre as pesquisas científicas que mostram um caminho na direção da despatologização da aprendizagem; sobre as práticas diferenciadas nas quais se busca a realização dos novos discursos. Termina-se o texto com questionamentos importantes à classe profissional dos psicopedagogos, no sentido de realizar uma crítica construtiva à práxis psicopedagógica atual.