VOLUME 29 - EDIÇÃO 88 Jan/ Abr - 2012

Editorial
Artigo Especial

2 - Diagnóstico psicopedagógico: uma experiência vivida no espaço de formação do curso de Psicopedagogia

Psychopedagogical diagnosis: an experience that took place at the formation space of Psychopedaogy Course

Anete Maria Busin Fernandes

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):3-9

Resumo PDF Português

O diagnóstico psicopedagógico vem mudando nesses últimos anos na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Os primeiros diagnósticos seguiam as técnicas de Sara Pain. Atualmente, os diagnósticos têm se apoiado nas teorias de Winnicott. Winnicott chamava de "espaço potencial" àquele localizado entre o indivíduo e o meio ambiente. No setting analítico, o mesmo acontece na sobreposição de duas áreas: a do paciente e a do terapeuta. No "espaço potencial" estabelecido no setting psicopedagógico, o uso da Caixa de Areia ajuda as pessoas a expressar o que é inexprimível em palavras.

Artigo Original

4 - A eficácia das oficinas de estimulação em um modelo de resposta à intervenção

The effectiveness of the workshop stimulation in a model of response to intervention

Bartira Silva; Thamires Luz; Renata Mousinho

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):15-24

Resumo PDF Português

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS: Este trabalho comparou a velocidade de leitura e compreensão das crianças e adolescentes avaliados, em dois momentos: antes e depois das oficinas, por meio da proposta de Resposta à Intervenção fonológica, considerando-se também tipo de intervenção e diferentes diagnósticos.
METODOLOGIA: Foram coletados resultados de avaliação e reavaliação da velocidade de leitura oral e compreensão textual em 19 crianças, do 3º ao 7º ano escolar, que ficaram em oficina de fonoaudiologia e pedagogia no período 2010-2 a 2011-1. Foram realizados dois experimentos. Experimento 1: a eficácia das oficinas foi estabelecida pela comparação pré e pós-teste. Realizou-se o refinamento do experimento 1 pela análise da eficácia das oficinas por diagnósticos. Experimento 2: dividiu as crianças em dois grupos: intervenção individual (G1) e em grupo (G2).
RESULTADOS: No experimento 1 houve diferença estatisticamente significante na comparação pré e pós-teste nos parâmetros velocidade e compreensão de leitura. Ao refinar a pesquisa, não se observou diferença estatística por diagnóstico. Já no experimento 2 não foi verificada diferença estatisticamente significante entre G1 e G2.
DISCUSSÃO: Ao considerar a velocidade de leitura oral e a compreensão, a eficácia das oficinas corrobora outros estudos. Várias pesquisas ressaltam a importância dos diferentes tipos de intervenção e a relevância deste para a identificação diagnóstica.
CONCLUSÃO: Independente do diagnóstico e proposta de intervenção, todas as crianças apresentaram melhora relevante no pré e pós-teste em relação a velocidade e compreensão de leitura. A eficácia similar na intervenção em grupo e individual demonstrou que a primeira proposta pode ajudar a suprir a alta demanda do SUS na área.

5 - Intervenção psicopedagógica com enfoque fonovisuoarticulatório em crianças de risco para dislexia

Intervention psychopedagogical phonovisuoarticulatory focusing on children at risk for dyslexia

Isabella Lencastre Heinemann; Cíntia Alves Salgado-Azoni

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):25-37

Resumo PDF Português

OBJETIVOS: Verificar a eficácia da intervenção psicopedagógica baseada no Método das Boquinhas em crianças com dificuldade de aprendizagem do 1º ano do Ensino Fundamental I.
MÉTODO: Participaram do estudo 11 crianças do 1º ano do ensino público fundamental municipal da cidade de Campinas-SP, de ambos os gêneros, faixa etária de 6 a 7 anos de idade, alfabetizados pela metodologia com enfoque silábico. Todas as crianças frequentaram a educação infantil anteriormente ao início do 1º ano e pertenciam à mesma sala de aula. As crianças foram divididas em: GEI - 3 crianças com dificuldades de aprendizagem do 1º ano do Ensino Fundamental I, que foram submetidas a intervenção psicopedagógica sob o enfoque fonovisuoarticulatório; GEII - 3 crianças do 1º ano do Ensino Fundamental I, com dificuldade de aprendizagem, que não foram submetidas a intervenção psicopedagógica sob o enfoque fonovisuoarticulatório; e GC - 5 crianças do 1º ano do Ensino Fundamental I, sem queixas de dificuldades de aprendizagem, não submetidas à intervenção.
RESULTADOS: Verificou-se que as crianças do GEI e GEII apresentaram dificuldades em todas as provas pré-testagem; o GEI após intervenção apresentou melhora significativa na leitura e na escrita, aproximando-se do GC.
CONCLUSÃO: A pesquisa permitiu concluir que a intervenção psicopedagógiga sob enfoque fonovisuoarticulatório é eficaz com crianças que apresentam sinais de risco para dislexia.

6 - Desenvolvimento da consciência fonológica em crianças de 4 a 8 anos de idade: avaliação de habilidades de rima

Development of phonological awareness in children 4 to 8 years of age: rhyme skills assessment

Patrícia Martins de Freitas; Thiago da Silva Gusmão Cardoso; Gustavo Marcelino Siquara

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):38-45

Resumo PDF Português

OBJETIVO: O objetivo do estudo foi avaliar o desenvolvimento da consciência fonológica ao nível da rima em crianças de 4 a 8 anos, observando o efeito das variáveis idade e sexo.
MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal analisando o desenvolvimento da consciência fonológica ao nível da rima. Os instrumentos utilizados foram: Julgamento de Rimas (JR) e Detecção de Rimas (DR). Participaram do estudo 131 crianças de 4 a 8 anos (média de 5,68 anos), sendo 81,4% de escolas públicas de Santo Antônio de Jesus-BA; 45,9% das crianças eram do sexo feminino. Na análise de dados, foram utilizados os testes estatísticos ANOVA e teste t de Student.
RESULTADOS: Os resultados da ANOVA demonstraram diferenças estatisticamente significativas entre as crianças de 4 a 8 anos, com a formação de dois grupos etários (4 a 5 e 6 a 8 anos). Os resultados do Scheffé e teste t de Student demonstraram diferenças significativas entre os grupos nas duas tarefas, sendo que a variável gênero revelou diferenças na JR, apenas no grupo 4 a 5 anos.
CONCLUSÃO: Concluímos que este estudo indica a necessidade de uma avaliação adequada do desenvolvimento de habilidades de rima na fase pré-escolar e escolar inicial, pois a capacidade de crianças em idade pré-escolar de detectar aliteração e rima pode predizer o seu sucesso posterior na aprendizagem da leitura e da escrita.

Relato de Experiência

7 - Parceria colaborativa entre fonoaudiólogo e professor: análise dos diários reflexivos

Collaborative partnership between speech therapist and teachers: analysis of reflective journals

Suzelei Faria Bello; Andrea Carla Machado; Maria Amélia Almeida

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):46-54

Resumo PDF Português

INTRODUÇÃO: A consultoria colaborativa é uma proposta de atuação entre educadores e especialistas, ou seja, entre dois ou mais parceiros que trabalham em conjunto na tomada de decisões, em busca de um objetivo comum. Essa colaboração acopla habilidades desses atores, na tentativa de promover atitudes profissionais independentes, pautadas no desenvolvimento de habilidades para resolução de problema, apoio mútuo e compartilhamento de responsabilidades. Nessa dinâmica, este trabalho partiu de um relato de experiência vivenciada no âmbito da pós-graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos - PPGEEs/UFSCar, em uma disciplina denominada de "Estudos Avançados", no ano de 2009.
OBJETIVO: Descrever e demonstrar, por meio dos diários reflexivos elaborados pela professora, o trabalho em parceria entre um especialista - a Fonoaudióloga - e o professor da escola regular, diante do processo inclusivo de uma criança com necessidades educacionais especiais.
MÉTODO: O trabalho foi desenvolvido numa escola privada do interior de São Paulo, os dados foram coletados do diário reflexivo da professora, durante três meses de encontros quinzenais, e as análises foram qualitativas.
RESULTADOS: Os dados revelados pelos diários reflexivos da professora pontuam que a parceria, para o trabalho com crianças com necessidades especiais, torna-se uma valiosa perspectiva para auxiliar e colaborar com o professor da escola regular frente às dificuldades de linguagem e comunicação.
CONCLUSÃO: A parceria pode ocorrer de forma facilitadora, ao visar às dificuldades de comunicação, linguagem e fala, demonstrando que a consultoria colaborativa pode potencializar a ação da professora e envolver todo o contexto educacional.

8 - Família e escola na compreensão dos significados do processo escolar

Family and school in the comprehension of the meanings in the educational process

Maria Luiza Puglisi Munhoz; Marli da Costa Ramos Scatralhe

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):55-65

Resumo PDF Português

Acreditando que a comunicação e a linguagem são instrumentos significativos nas ações educativas, propomos a criação de um espaço conversacional entre pais e professores de crianças de 6 a 8 anos, de ambos os sexos, do 1º e 2º ano do ensino fundamental de uma instituição particular de ensino, de nível socioeconômico médio e médio alto, a partir do que relatam sobre a educação escolar dos filhos/alunos. Trata-se de uma metodologia que possibilita a aproximação dos dois sistemas interdependentes família e escola, visando minimizar os conflitos existentes entre eles. Concluímos que, a escola ao transmitir valores essenciais por meio das funções do professor, estende a ação educativa à família, inserindo-a. Ação considerada positiva pelos pais e professores, porque possibilita a compreensão dos significados expressos pelos sistemas interagindo.

Artigo de Revisão

9 - Desenvolvimento da inteligência em pré-escolares: implicações para a aprendizagem

Intelligence development in preschoolers: implications for learning

Tatiana Pontrelli Mecca; Daniela Aguilera Moura Antonio; Elizeu Coutinho de Macedo

Rev. Psicopedagogia 2012;29(88):66-73

Resumo PDF Português

As habilidades cognitivas desenvolvidas na fase pré-escolar são fundamentais para aquisição de conhecimentos nas fases seguintes. A avaliação cognitiva nessa fase possibilita verificar possíveis atrasos no desenvolvimento e estabelecer diferentes perfis de competências em relação às diversas funções cognitivas. O objetivo do presente trabalho é apresentar uma revisão dos principais aspectos relacionados, especificidades e desafios da avaliação cognitiva em pré-escolares, bem como identificar como esta pode auxiliar no estabelecimento de intervenções precoces e eficazes. O foco do estudo é o construto inteligência que está diretamente relacionada com a capacidade de pensar e de resolver problemas. Estudos indicam que a inteligência é influenciada tanto por aspectos genéticos quanto ambientais, e possui relação consistente com a aprendizagem. Sendo assim, é de suma importância compreender como se apresenta o funcionamento intelectual nos pré-escolares, bem como avaliá-lo adequadamente, auxiliando no planejamento de estratégias de intervenções psicopedagógicas, bem como na indicação de tratamentos específicos.

Ponto de Vista
Anais