VOLUME 31 - EDIÇÃO 94 Jan/ Abr - 2014

Editorial
Artigo Original

2 - Avaliação de funcionalidade em atividades e participação de alunos com transtornos do espectro do autismo

Assessment of functionality on activities and participation of students with autism

Camila Miccas; Andréa Aparecida Francisco Vital; Maria Eloisa Famá D'Antino

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):3-10

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Este artigo apresenta pesquisa realizada com professores de uma escola de educação especial da cidade de São Paulo e teve por objetivo avaliar a funcionalidade de alunos com diagnóstico de transtornos do espectro do autismo.
MÉTODO: Foi utilizado um protocolo de avaliação funcional baseado no domínio de atividades e participação, proposto pela Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde.
RESULTADOS: Esta pesquisa demonstrou diferenças significativas entre idade, ano/série e pontuação segundo a avaliação de funcionalidade, assim como mostra a literatura.
CONCLUSÃO: Considera-se ainda como ponto fundamental de discussão o ambiente escolar em que os alunos avaliados estão frequentando, que pode influenciar positivamente a evolução escolar e funcional desses alunos, assim como o planejamento adequado das intervenções pedagógicas mediante uma avaliação bem realizada.

3 - Intervenção no uso de procedimentos e estratégias de contagem com alunos dos anos iniciais com baixo desempenho em matemática

Intervention in the use of counting procedures and strategies with students in the first years of school with low performance in mathematics

Yasmini Lais Spindler Sperafico

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):11-20

Resumo PDF Português

A contagem é uma habilidade essencial ao desenvolvimento de todo o conhecimento numérico, sendo um aspecto preditor do desempenho matemático posterior. Dentre as habilidades de contagem, encontram-se os procedimentos e estratégias de contagem que tratam de conhecimentos procedurais aplicados à resolução de problemas aritméticos. O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos de uma intervenção psicopedagógica nos procedimentos e estratégias de contagem, verificando a evolução desses procedimentos e estratégias e a possibilidade de generalização dos efeitos a outros contextos matemáticos, com um grupo heterogêneo com cinco estudantes. Verificou-se uma evolução no uso de procedimentos e estratégias de contagem, sendo que a maior parte dos alunos passou a recuperar diversos fatos da memória. Observou-se, ainda, uma evolução no conhecimento numérico, em habilidades não abordadas durante as intervenções, evidenciando que o conhecimento de contagem traz benefício na aprendizagem de outros conceitos matemáticos.

4 - Moralidade e concepção de amor em crianças de 6 e 9 anos

Morality and conception of love in 6 and 9 years old children

Ariadne Dettmann Alves; Heloisa Moulin de Alencar; Antonio Carlos Ortega

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):21-34

Resumo PDF Português

Refletindo sobre a importância das virtudes no desenvolvimento moral, nosso objetivo foi investigar as concepções das crianças sobre o amor. Entrevistamos, individualmente, 40 crianças, de 6 e 9 anos, em uma escola particular de Vila Velha-ES, de acordo com o método clínico proposto por Piaget. Solicitamos que cada criança mencionasse exemplos de experiência de amor e, posteriormente, justificasse suas respostas. Os exemplos mais citados foram 'ações de amor para outrem' (como ajudar e cuidar) e 'amor por determinada(s) pessoa(s)' (pessoas da família e amigos, entre outros), que aumentaram com a idade; e 'ações com amor' (como brincar e beijar), que apresentaram um decréscimo. As justificativas ressaltaram, principalmente, a consequência positiva que o exemplo de amor propiciaria, especialmente, a si próprio, ou seja, um interesse próprio que aumentou com a idade. Salientamos que o sentimento foi mencionado tanto como exemplo de amor, como justificativa. Verificamos que a concepção que as crianças têm do amor é ampla, sendo importante, portanto, darmos ênfase no processo de formação dessa virtude, uma vez que o amor auxilia na formação moral. Assim, esperamos incentivar outros trabalhos e discussões sobre o amor, contribuindo para propostas de educação e auxiliando na formação moral das crianças.

5 - Avaliação da criatividade em universitários

Assessment of creativity in university students

Maria Célia Bruno Mundim; Queila Guise Milian; Eliezer Fernandes Gums; Solange Múglia Wechsler; Yung Sun Lee Damasceno

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):35-43

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Avaliar a criatividade verbal de estudantes de uma universidade da capital paulista.
MÉTODO: Foi aplicado coletivamente em classe o Teste Pensando Criativamente com Palavras de Torrance, composto de seis atividades que visam medir dez características verbais do indivíduo. O teste foi respondido individualmente por 90 graduandos (45 mulheres e 45 homens), dos cursos de Psicologia e Administração. Os estudantes foram divididos em três grupos etários: o primeiro composto por estudantes com idades entre 17 e 20 anos (n=17, média=19,27 anos e DP=0,91), o segundo com faixa etária entre 21 e 30 anos (n=54, média=24,55 anos e DP=2,76) e o terceiro grupo (Grupo 3) com idades entre 31 e 42 anos (n=19, média=35 anos e DP=3,44).
RESULTADOS: A análise multivariada da variância (MANOVA) indicou efeitos significativos quanto à idade (F=1,84, p<0,05) para as características criativas e de fantasia (F=3,87, p<0,05).
CONCLUSÃO: Pode-se concluir que a idade influencia positivamente uma maior expressão de criatividade em estudantes universitários.

6 - Expectativas de alunos de enfermagem frente ao primeiro estágio em instituições de saúde

Expectations of nursing students first stage in front of the health institutions

Emerson Piantino Dias; Beatriz Lemos Stutz; Tatiana Carneiro de Resende; Natália Borges Batista; Suéllen Siqueira de Sene

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):44-55

Resumo PDF Português

Neste estudo de abordagem qualitativa, objetivou-se investigar as expectativas de alunos do primeiro período de um curso técnico em enfermagem de uma universidade pública, acerca do seu primeiro estágio em unidades de saúde. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, gravada e transcrita, de acordo com a Resolução 196/96 que regulamenta a pesquisa com seres humanos. Os resultados obtidos demonstram que o início do estágio é permeado por sentimentos de medo, insegurança e ansiedade dos estudantes. Pode-se concluir que esse é um momento em que devem contar com a compreensão e o conhecimento dos docentes para que se sintam mais confortáveis e preparados para elaborar questionamentos e sanar dúvidas em relação ao exercício profissional.

Artigo Especial

7 - O papel do psicopedagogo em relação ao bullying

The role of psychopedagogists relative to bullying

Adalgisa Conceição Ferreira da Silva; Alice Maria Figueira Reis da Costa

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):56-62

Resumo PDF Português

Nosso interesse pelo bullying partiu inicialmente do destaque desse assunto na mídia, e de como esse problema pode afetar nossa escola. O estudo dessa temática teve como ponto de partida conversas com professores, especialistas, funcionários e depois com pais e comunidade. Por essas discussões que ocorreram em várias redes sociais de diferentes níveis socioeconômicos, de um caso concreto diagnosticado dentro de sala de aula, se fez necessário este estudo direcionado ao processo educacional para que os membros da comunidade escolar estejam atentos a esse vilão que permeia a educação do século XXI e elaborem planos de ação em que valores éticos e políticos tão esquecidos em tempos atuais onde o individualismo impera, contribuem para que a prática do bullying venha a diminuir e até mesmo se extinguir de nossas escolas.

Artigo de Revisão

8 - Psicopedagogia em contextos hospitalares e da saúde: três décadas de publicações na revista psicopedagogia

Psychopedagogy in health and hospital contexts: three decades of publications in revista psicopedagogia

Marisa Irene Siqueira Castanho

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):63-72

Resumo PDF Português

Este estudo teve como objetivo identificar possibilidades, avanços e evolução da participação da Psicopedagogia e do psicopedagogo em contextos hospitalares e da saúde. Considerou-se a relevância da pesquisa em sintonia com o atual momento de expansão do campo de atuação da Psicopedagogia. Optou-se pela análise de publicações da Revista Psicopedagogia por se tratar de periódico indexado e que vem ininterruptamente se dedicando às publicações na área da Psicopedagogia,desde 1982. Foram selecionados 19 textos do período 1982-2012 por meio de descritores específicos vinculados ao assunto. Os resultados apresentaram baixa incidência de publicações sobre o tema pesquisado, correspondendo a 2,7% dos trabalhos publicados no período, sendo 0,7% da década 1982-1991; 5,3% de 1992-2001 e 1,9% de 2002-2012. Por meio da análise de conteúdo os textos foram organizados por categorias de atendimento: 7(36,8%) referiam-se à contribuição da Psicopedagogia nas internações hospitalares; 5 (26,3%), à participação da Psicopedagogia nos Ambulatórios de Psiquiatria, Neurologia e Fonoaudiologia no tratamento de distúrbios de aprendizagem; 4 (21,1%) tratavam teoricamente da importância da parceria entre Psicopedagogia e Pediatria na prevenção das dificuldades de aprendizagem; 2 (10,5%) configuravam-se como revisões históricas da presença da Psicopedagogia nesses contextos e 1 (5,3%) referia-se à participação em comunidade terapêutica de dependentes químicos. Considera-se a importância dos resultados não pelo número de trabalhos, mas pela diversidade de possibilidades de participação do psicopedagogo em equipes interdisciplinares na avaliação e intervenção em processos de aprendizagem nesses contextos, o que merece debate aprofundado, em busca de sistematizações e teorizações.

9 - Perfil de pesquisas relacionadas à dislexia: revisão de literatura

Profile of research related to dyslexia: literature review

Amábile Bianca Nogueira

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):73-81

Resumo PDF Português

INTRODUÇÃO: A dislexia é um dos distúrbios da escrita mais frequentes com os quais trabalham os psicopedagogos. Conhecer o perfil das pesquisas relacionadas ao tema pode auxiliá-los no atendimento desse distúrbio.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo é realizar um levantamento do perfil das pesquisas relacionadas à dislexia entre 2009 e 2013, na base de dados SciELO Brasil.
MÉTODO: Revisão sistemática de literatura relacionada aos descritores dislexia e transtorno da leitura entre 2009 e 2013, na base de dados SciELO Brasil.
RESULTADOS: Foram ldos 27 artigos que se enquadram nos parâmetros dessa revisão de literatura. Predominam artigos baseados em pesquisas de campo (96,3%), realizadas principalmente por fonoaudiólogos (45%), cujo número de participantes varia entre 21 a 40 (40,7%). Em 95,2% das pesquisas que especificam a escolarização dos indivíduos, estes cursam o Ensino Fundamental. Entre os escolares já diagnosticados como disléxicos, 71% são do sexo masculino.
CONCLUSÃO: apesar da relevância do tema dislexia, ainda há poucos estudos relacionados a adolescentes e a adultos. Além disso, nenhum dos pesquisadores identificou-se como psicopedagogo.

10 - Percepção auditiva em escolares com dislexia: uma revisão sistemática

Auditory perception in students with dyslexia: a systematic review

Ana Karina Lima Buriti; Marine Raquel Diniz da Rosa

Rev. Psicopedagogia 2014;31(94):82-88

Resumo PDF Português

OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi descrever aspectos fundamentais da percepção auditiva em crianças com dislexia, visando a contribuir para a atualização de fonoaudiólogos e educadores envolvidos no processo de desenvolvimento da linguagem em escolares.
MÉTODO: Foi realizado um levantamento bibliográfico em bases de dados Medline, SciELO, LILACS, a partir da combinação entre os descritores, percepção auditiva, dislexia, criança, aprendizagem e linguagem infantil. Foram selecionados para análise deste estudo, 17 artigos nacionais completos, após a exclusão de artigos repetidos, não disponíveis, com palavras ou temas não condizentes com a temática.
RESULTADOS: Observou-se que a grande maioria dos estudos utilizou a avaliação do processamento auditivo para avaliação das habilidades auditivas, assim como o Teste de Desempenho Cognitivo-Linguístico, em crianças com faixa etária entre 6 a 14 anos. Quase todos os estudos encontraram relação significativa entre o aprendizado da leitura e o processamento auditivo temporal em escolares.
CONCLUSÃO: Baseado nos estudos analisados percebe-se a necessidade não somente de detectar as alterações da percepção auditiva em crianças com dislexia, mas também, que seja proposto pelo fonoaudiólogo o treinamento da percepção auditiva para promover um melhor desempenho das habilidades auditivas e linguísticas dos escolares, podendo diminuir os inúmeros fracassos escolares.