VOLUME 32 - EDIÇÃO 99 Set/ Dez - 2015

Editorial
Artigo Original

2 - Autoeficácia de cuidadores de crianças com o transtorno do espectro autista

Self-efficacy of caregivers of children with autism spectrum disorder

Maria de Lourdes Merighi Tabaquim; Roberta Gelain de Souza Vieira; Ana Paula Ribeiro Razera; Sylvia Maria Ciasca

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):285-292

Resumo PDF Português

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é considerado um transtorno global do desenvolvimento, com características graves e comprometedoras. A sobrecarga materna é apontada por diversos autores como sendo uma consequência da própria condição da criança, a qual implica em uma dependência intensa e constante do portador em relação à sua mãe. O objetivo deste estudo foi identificar a relação do padrão de independência da criança com TEA e o nível de autoeficácia do seu cuidador. Participaram do estudo 13 cuidadores, sendo 15,4% do sexo masculino e 84,6% do sexo feminino. Para a coleta de dados foram utilizados dois protocolos: Escala de Percepção de Autoeficácia e Índice de Katz de Atividades de Vida Diária. Os resultados demonstraram que os cuidadores possuíam um bom índice de Autoeficácia, com ausência de sobrecarga do cuidador (M=40,3). As pontuações no Índice de Katz (M=11,3) evidenciaram 3 crianças dependentes, 4 que necessitavam de ajuda e 6 independentes. O estudo apontou para a ausência de correlação do nível de dependência da criança com TEA e da percepção de autoeficácia do cuidador, sugerindo limitação e particularidade da amostra, cujos cuidadores se manifestaram com disponibilidade prática e afetiva, para atender às demandas da criança, minimizando o impacto decorrente.

3 - Há relação entre desenvolvimento psicomotor e dificuldade de aprendizagem? Estudo comparativo de crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, dificuldade escolar e transtorno de aprendizagem

There is relationship between psychomotor development and learning disability? Comparative study in children with attention deficit hyperactivity disorder, school difficulties and learning disorder

Mariana Coelho Carvalho; Sylvia Maria Ciasca; Sônia das Dores Rodrigues

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):293-301

Resumo PDF Português

INTRODUÇÃO: O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho psicomotor de crianças com transtorno de aprendizagem (TA), dificuldade escolar (DE) e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Especificamente, foi identificada a relação entre habilidades psicomotoras nos diferentes tipos de problemas com a aprendizagem.
MÉTODO: Foram avaliadas 25 crianças, de ambos os gêneros, com idade entre 7 e 11 anos de idade, com diagnóstico de TDAH (n=8), TA (n=6) e DE (n=11), avaliadas no DISAPRE/FCM/UNICAMP. A Escala de Desenvolvimento Motor (Rosa Neto, 2002) foi utilizada para avaliar motricidade fina, motricidade global, equilíbrio, esquema corporal, organização espacial e organização temporal.
RESULTADOS E CONCLUSÕES: Todas as crianças tiveram idade motora inferior à idade cronológica. Comparando as habilidades psicomotoras, constatou-se que o grupo com TDAH teve pior desempenho, porém diferença estatisticamente significativa foi encontrada apenas em esquema corporal (quando se comparou o grupo TDAH com o grupo com TA). As autoras chamam a atenção para a relação entre baixo desempenho em habilidades psicomotoras com problema de aprendizagem e ressaltam a necessidade de se inserir a educação psicomotora na escola, com o objetivo de se prevenir e minimizar problemas acadêmicos.

4 - Avaliação da memória em crianças e adolescentes com capacidade intelectual limítrofe e deficiência intelectual leve

Memory evaluation in children and adolescents with limitrophe intellectual capacity and mild intellectual disability

Amanda Morão Pereira; Carolina Rabelo Araújo; Sylvia Maria Ciasca; Sônia das Dores Rodrigues

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):302-313

Resumo PDF Português

O presente estudo teve como objetivo avaliar e comparar a memória de crianças e adolescentes classificados como intelectualmente deficiente (grau leve), inteligência limítrofe e sem comprometimento intelectual. Especificamente, foram analisadas a memória operacional, memória de curto prazo imediata e memória de longo prazo (episódica e semântica) nos três grupos mencionados. Participaram deste estudo 38 sujeitos divididos em três grupos: deficientes intelectuais de grau leve (GDI), limítrofes (GL) e controle (GC), constituído por crianças com quociente de inteligência dentro da normalidade. Para avaliação dos diferentes tipos de memória foram utilizados os instrumentos: Figura Complexa de Rey, Teste de Aprendizagem Auditivo-Verbal de Rey (RAVLT), Blocos de Corsi (TBC) e os subtestes da WISC-IV dígitos, sequência de números e letras e vocabulário. Os dados obtidos demonstram que, quando comparado ao GC, o GDI apresentou prejuízo significativo na memória operacional e na memória de longo prazo semântica, mas não na memória episódica. Em teste que utiliza a repetição de informações, as crianças do GDI tiveram melhor desempenho. Tal dado é importante, pois remete à ideia de que estratégias de ensino embasadas nessa abordagem podem favorecer a aprendizagem dessas crianças. Quanto ao GL, constatou-se prejuízo significativo em todos os tipos de memória avaliados, quando comparado ao GC. A comparação entre o GL e o GDI demonstrou que os primeiros tiveram melhor desempenho (estatisticamente significativo) apenas na memória semântica. Diante disso, considera-se importante que se discuta a necessidade de crianças com inteligência limítrofe receberem na escola o mesmo suporte educacional especializado oferecido às crianças intelectualmente deficientes.

5 - Análise de itens da versão brasileira do Ages and Stages Questionnaires para creches públicas da cidade do Rio de Janeiro

Item analysis of the Ages and Stages Questionnaires Brazilian version for public day care centers in Rio de Janeiro

Luis Filipe F.A. Tavares; Daniel C. Mograbi; Jesus Landeira-Fernandez

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):314-325

Resumo PDF Português

O Ages & Stages Questionnaires 3ª Edição, na tradução para o português-BR (ASQ3-BR), é um teste de rastreamento usado para avaliar o desenvolvimento de crianças na idade pré-escolar (8 a 60 meses), tendo sido utilizado pela Secretaria de Educação da Prefeitura do Rio de Janeiro como instrumento para avaliar a qualidade do atendimento em creches municipais. No presente estudo, foram analisados os resultados obtidos nos testes aplicados entre 2010 e 2012, para 124.292 crianças de 468 creches públicas do município do Rio de Janeiro, avaliando a consistência interna dos resultados para os 6 itens de cada um dos 5 domínios do ASQ3-BR, para cada uma das 16 faixas etárias estabelecida pelo instrumento. Embora o ASQ3-BR tenha sido resultado de uma retrotradução, bem como tenha recebido adaptações culturais para assegurar a adaptação do teste para a cultura brasileira, os coeficientes de "Alfa de Cronbach" abaixo de 0,7, bem como a "Correlação Item-Total" abaixo de 0,3, identificam itens relevantes para serem analisados e discutidos. Os resultados constataram que, embora o ASQ3-BR seja um bom instrumento para avaliação do desenvolvimento de crianças na pré-escola, quando na sua aplicação em ambiente de creches, pode ter fidedignidade aumentada por algumas adaptações em função dos procedimentos operacionais específicos dessas creches.

Relato de Experiência

6 - Avaliação psicopedagógica de criança com alterações no desenvolvimento: relato de experiência

Psychopedagogical evaluation of one child with developmental abnormalities: experience report

Leila Santos Batista; Bárbara Gonçalves; Márcia Siqueira de Andrade

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):326-335

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Apresentar relato de avaliação psicopedagógica de criança com queixa de alterações no desenvolvimento. O caso relatado é o de menino, 9 anos de idade, atendido em clínica-escola de instituição da grande São Paulo. O relatório médico reportou alterações no desenvolvimento, especificamente atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, desatenção e dificuldade de aprendizado, com diagnóstico de transtorno específico misto do desenvolvimento e outro transtorno comportamental e emocional especificado com início habitualmente na infância ou adolescência (F83 e F98-8).
MÉTODO: O relato foi elaborado a partir da descrição do protocolo utilizado para avaliação, que constou de oito sessões em que foram aplicados os instrumentos: Desenho da Família, Desenho da Família Cinética, Desenho do Par Educativo, Hora do Jogo Diagnóstica, Sondagem da escrita e Provas Piagetianas.
RESULTADOS: A avaliação psicopedagógica indicou atraso na aprendizagem da escrita, no desenvolvimento cognitivo, além de dificuldades de coordenação motora, interação e comunicação. Verificou-se vínculo saudável com o objeto de conhecimento, percepção saudável da estrutura familiar, ausência de vínculo entre os membros da família, e vínculo comprometido com o ensinante.
CONCLUSÃO: A avaliação psicopedagógica permitiu uma análise abrangente do sujeito e de sua aprendizagem, e sugestões de encaminhamento baseadas nos resultados alcançados.

Artigo Especial

7 - Estratégia de inclusão: resgate da corporeidade no interior das escolas

Inclusion strategy: rescue of embodiment within schools

Sandra Maria Correa Miller; Maira Miller Ferrari

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):336-345

Resumo PDF Português

O presente trabalho faz uma reflexão sobre os caminhos da educação no futuro, centrada na condição humana, sob a égide do princípio da unidade-diversidade proposto por Edgar Morin. Realiza um contraponto entre educação e corporeidade no contexto do sistema oficial de ensino, enfatizando a importância de resgatar o ato motor e o significado da corporeidade em diferentes etapas da educação básica. Reapresenta o papel do corpo como um elemento essencial no processo de aprendizagem e apresenta a valorização da corporeidade e do movimento como estratégias para o sucesso da educação inclusiva e da escola como espaço de convivência, inclusive durante a adolescência, considerando o Ensino Fundamental e Médio. A educação inclusiva é vinculada à busca incessante de proporcionar a autonomia de ser e de saber da(o) educanda(a), valorizando e respeitando o seu conhecimento prévio, sua singularidade e linguagem corporal, visto ser o estudante um sujeito social em construção.

Artigo de Revisão

8 - A dupla-excepcionalidade: relações entre altas habilidades/superdotação com a síndrome de Asperger, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e transtornos de aprendizagem

The twice-exceptionality: relations between giftedness with Asperger's syndrome, attention deficit hyperactivity disorder and learning disorders

Rauni Jandé Roama Alves; Tatiana de Cássia Nakano

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):346-360

Resumo PDF Português

A "dupla-excepcionalidade" pode ser definida como a presença de capacidades superiores em uma ou mais áreas, que ocorre conjuntamente a deficiências ou condições tidas como incompatíveis a essas capacidades. O presente estudo objetivou apresentar e discutir a presença das Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) na Síndrome de Asperger (SA), Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e nos Transtornos de Aprendizagem (TA). Comportamentos sociais e criatividade mostraram-se características fundamentais para diferenciação ou diagnóstico concomitante da SA e AH/SD. Em relação ao TDAH, verificou-se que comportamentos característicos a esse transtorno também podem ser observados nas AH/SD. Os TA representam o diagnóstico mais incomum de ser realizado em conjunto às AH/SD, pois corriqueiramente o bom desempenho acadêmico é atrelado à superdotação.

9 - O brincar na clínica psicopedagógica

The play in clinic psychopedagogical

Rosanita Moschini; Iara Caierão

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):361-365

Resumo PDF Português

O presente artigo visa apresentar aspectos do brincar relacionados com a clínica psicopedagógica, com base na revisão de literatura acerca da temática, em complementaridade com a prática psicopedagógica. As reflexões baseiam-se na importância de se estabelecer um espaço de jogo na clínica psicopedagógica visando a qualificação do processo terapêutico, como um espaço de criatividade.

10 - Educação superior: vicissitudes da ação psicopedagógica

Higher education: vicissitudes of psycho-pedagogical action

Sílvia Maria de Oliveira Pavão; Amanda do Prado Ferreira Cezar

Rev. Psicopedagogia 2015;32(99):366-373

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Discutir as vicissitudes da intervenção psicopedagógica direcionada aos estudantes da Educação Superior.
MÉTODO: Abordagem qualitativa, classificado como um estudo com enfoque analítico do tipo análise de conteúdo clássica.
RESULTADOS: A ação psicopedagógica para estudantes da Educação Superior se diferencia quanto à abordagem. Formação profissional na área e seleção de procedimentos e recursos adequados a cada caso são determinantes nesse processo. Práticas de reconhecimento do estilo de aprender, sistematização dos modos de estudo e diálogo consistem em práticas recomendadas, por mostrarem certa eficácia no desempenho acadêmico.
CONCLUSÃO: A dinâmica dos acontecimentos na trajetória universitária desafia o psicopedagogo a desenvolver ações que atendam às diferentes necessidades dos sujeitos.