Resenha - Ano 2016 - Volume 33 - Edição 102

Resenha: A coleção ‘Avaliação Neuropsicológica Cognitiva’: disponibilização de instrumentos no contexto nacional


Resenha da coleção: Seabra AG, Dias NM. Coleção Avaliação neuropsicológica cognitiva. Vol. 1-3. São Paulo: Memnon; 2012.

 

A Coleção "Avaliação Neuropsicológica Cognitiva" (ANC) é composta por três volumes disponibilizados na versão impressa e digital. A Coleção foi criada no intuito de preencher a lacuna relativa à carência de instrumentos de avaliação neuropsicológica, sobretudo de crianças e adolescentes, no Brasil1,2, se caracterizando por disponibilizar instrumentos que podem ser aplicados tanto por profissionais da área clínica quanto por profissionais da área de educação, em acordo com o entendimento de neuropsicologia enquanto área de conhecimento e atuação interdisciplinar3.

A avaliação neuropsicológica cognitiva busca investigar as funções cognitivas que estão preservadas e as que estão comprometidas em um dado paciente, delineando um perfil de seu funcionamento neuropsicológico, o que será muito útil no delineamento de intervenções, por exemplo. Sendo assim, a coleção ANC tem como objetivo subsidiar a prática da avaliação neuropsicológica cognitiva ao fornecer subsídios teóricos e, sobretudo, ao disponibilizar instrumentos, acompanhados dos sumários de suas qualidades psicométricas e de tabelas de normatização que possibilitam interpretar os desempenhos de um indivíduo em relação ao esperado para seu nível de desenvolvimento2.

No primeiro volume "Avaliação Neuropsicológica Cognitiva: Atenção e Funções Executivas"4, organizado por Alessandra G. Seabra e Natália M. Dias, são apresentados 18 capítulos, divididos em três partes: 1) Fundamentos Teóricos; 2) Atenção e funções executivas; e 3) Avaliação de Funções Executivas e Atenção. A primeira parte inicia-se com uma objetiva revisão sobre a neuropsicologia e avaliação neuropsicológica, estendendo-se com a apresentação de considerações acerca da avaliação psicológica e da psicometria aplicados à avaliação em neuropsicologia. Na sequência, na segunda parte, o volume traz uma fundamentação teórica para o entendimento das funções executivas e atenção, sua relevância e alterações. Sabe-se, por exemplo, que estas habilidades são importantes no controle das emoções, cognição e comportamento, com grande impacto na aprendizagem e funcionamento do indivíduo. O volume prossegue com capítulos que discorrem sobre as características psicométricas e disponibilizam dados normativos de quatro instrumentos de avaliação, além de disponibilizar os referidos instrumentos, os quais mensuram componentes de atenção seletiva e alternada (Teste de Atenção por Cancelamento), além de componentes de funções executivas, tais como planejamento (Teste da Torre de Londres) e flexibilidade cognitiva (Teste de Trilhas – partes A e B; Teste de Trilhas para pré-escolares). No final do primeiro volume, na terceira parte, há três estudos ilustrativos com avaliação de funções executivas e atenção em quadros clínicos que cursam com alteração nessas habilidades, sendo esquizofrenia, transtorno do espectro do autismo e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, sendo as duas últimas condições abordadas em estudos de caso.

O segundo volume da coleção, "Avaliação Neuropsicológica Cognitiva: Linguagem Oral"5, também organizado por Alessandra G. Seabra e Natália M. Dias, possui 21 capítulos divididos em duas partes: 1) Linguagem Oral; e 2) Avaliação da linguagem oral: estudos ilustrativos. Nesse volume, a primeira parte inicia-se com a apresentação de modelos teóricos e pesquisas sobre a linguagem oral e sua avaliação, incluindo evidências do impacto dessa habilidade sobre o desenvolvimento infantil. Na sequência, os capítulos apresentam evidências de validade e de fidedignidade, bem como dados normativos de procedimentos para avaliar diferentes facetas da linguagem. Os próprios instrumentos também são disponibilizados: Teste de Discriminação Fonológica, Teste Infantil de Nomeação, Teste de Repetição de Palavras e Pseudopalavras, Prova de Consciência Fonológica por Produção Oral e Prova de Consciência Fonológica por Escolha de Figuras. Além destes, o volume ainda amplia evidências de validade e dados normativos da Prova de Consciência Sintática6 para faixa etária pré-escolar e de 11 a 14 anos (publicação original incluía dados normativos para crianças de 6 a 10 anos, Ensino Fundamental I). Na parte final do segundo volume, há três estudos ilustrativos com avaliação da linguagem oral. O primeiro destes estudos demonstra que habilidades de linguagem oral na pré-escola são preditoras importantes de leitura nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Os demais capítulos são estudos de caso e oferecem uma análise das dificuldades de linguagem oral em crianças com síndrome de Williams e com dificuldades escolares.

No terceiro volume, "Avaliação Neuropsicológica Cognitiva: Leitura, Escrita e Aritmética"7, organizado por Alessandra G. Seabra, Natália M. Dias e Fernando C. Capovilla, têm-se 14 capítulos divididos em: 1) Leitura e escrita; 2) Competência aritmética; e 3) Estudos de caso. O terceiro volume da coleção se refere às habilidades acadêmicas básicas de leitura, escrita e aritmética, pois reconhece que tais habilidades são fundamentais para que outras habilidades e conhecimentos acadêmicos, mais complexos, sejam adquiridos posteriormente. A parte 1 traz fundamentação teórica acerca da leitura e escrita e capítulos com as propriedades psicométricas e dados normativos de dois instrumentos, os quais são também disponibilizados: Teste Contrastivo de Compreensão Auditiva e de Leitura e Prova de Escrita Sob Ditado-versão reduzida. A segunda parte aborda a competência aritmética, fornecendo subsídio teórico e dados de evidencias de validade e fidedignidade, além de dados normativos da Prova de Aritmética, também disponível no volume. Como nos demais volumes de ANC, ao fim do livro são apresentados três casos ilustrativos, incluindo um caso de queixa de dificuldades de leitura e escrita, criança com alteração neurológica e um caso de discalculia do desenvolvimento, a fim de mostrar ao leitor o quão prático e informativo pode ser o uso de tais instrumentos.

Em conjunto, os três volumes de ANC disponibilizam ao profissional 12 instrumentos de avaliação de atenção, funções executivas, linguagem oral (incluindo discriminação e consciência fonológica, memória fonológica de curto prazo e nomeação), leitura, escrita e aritmética. Os instrumentos, todos com propriedades psicométricas adequadas e dados normativos disponíveis, podem ser utilizados por psicólogos e outros profissionais que atuam em neuropsicologia na avaliação de crianças a partir de idade pré-escolar até Ensino Fundamental II (é preciso consultar dados normativos de cada instrumento). A coleção cumpre seu objetivo ao fornecer ferramentas aos profissionais da área, minimizando uma carência na avaliação neuropsicológica de crianças e adolescentes no país. Tal contribuição se estende à Psicopedagogia, área de diálogo e interface com a neuropsicologia, disponibilizando a este profissional subsídios teóricos e práticos à sua atuação nos contextos clínico e escolar.

 

REFERÊNCIAS

1. Hamdam AC, Pereira APAD, Riechi TI. Avaliação e reabilitação neuropsicológica: desenvolvimento histórico e perspectivas atuais. Interação Psicol. 2011;15:47-58.

2. Seabra AG, Dias NM, Macedo EC. Neuropsicologia cognitiva e avaliação neuropsicológica cognitiva: contexto, definição e objetivo. In: Seabra AG, Dias NM, eds. Avaliação neuropsicológica cognitiva: atenção e funções executivas. São Paulo: Memnon; 2012. p.16-27.

3. Haase VG, Salles JF, Miranda MC, Malloy-Diniz L, Abreu N, Argollo N, et al. Neuropsicologia como ciência interdisciplinar: consenso da comunidade brasileira de pesquisadores/clínicos em Neuropsicologia. Neuropsicol Latinoam. 2012;4:1-8.

4. Seabra AG, Dias NM. Avaliação neuropsicológica cognitiva: atenção e funções executivas. Vol. 1. São Paulo: Memnon; 2012.

5. Seabra AG, Dias NM. Avaliação neuropsicológica cognitiva: linguagem oral. Vol. 2. São Paulo: Memnon; 2012.

6. Capovilla FC, Capovilla AGS. Prova de Consciência Sintática (PCS): normatizada e validade: para avaliar a habilidade metassintática de escolares de 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental. São Paulo: Memnon; 2006.

7. Seabra AG, Dias NM, Capovilla FC. Avaliação neuropsicológica cognitiva: leitura, escrita e aritmética. Vol 3. São Paulo: Memnon; 2013.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Graduanda em Psicopedagogia, Grupo de Investigação em Neuropsicologia, Desenvolvimento e Educação (GINDE), Centro Universitário FIEO, Osasco, SP, Brasil

 

Correspondência

Ágata Almeida de Araújo
Rua Aparecida Ivone Munhoz, 633
Osasco, SP, Brasil – CEP 06142-050
E-mail: agataalmeida.araujo@gmail.com

Artigo recebido: 16/07/2016
Aceito: 28/07/2016


Resenha realizada no Grupo de Investigação em Neuropsicologia, Desenvolvimento e Educação (GINDE), Centro Universitário FIEO, Osasco, SP, Brasil.