Artigos Relacionados

1 resultado(s) para: Dislexia Aprendizagem Cognição Testes Neuropsicológicos

Desempenho em testes psicopedagógicos e neuropsicológicos de crianças e adolescentes com dislexia do desenvolvimento e dificuldade de aprendizagem

Matheus Sant'Ana Michelino; Amanda Douat Cardoso; Patrícia Botelho da Silva; Elizeu Coutinho de Macedo

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):111-125 - Artigo Original

Resumo PDF Português

Os problemas encontrados durante o processo de aprendizagem constituem uma das razões mais frequentes para a procura por atendimentos por psicopedagogos, psicólogos e fonoaudiólogos. Essas dificuldades têm sido analisadas em função de dois subtipos importantes: Dificuldades de Aprendizagem (DA) e Transtornos Específicos de Aprendizagem (TEAd), sendo a Dislexia do Desenvolvimento (DD) o transtorno com maior prevalência. Dessa forma, um dos aspectos importantes da avalição diagnóstica é o estabelecimento de diagnóstico diferencial. O presente estudo teve por objetivo caracterizar perfis de crianças e adolescentes com DD e DA em testes psicopedagógicos e neuropsicológicos, e compará-los com o perfil do grupo controle. Participaram 45 crianças e adolescentes divididas em três grupos: (G1) 21 sujeitos com DD; (G2) 10 sujeitos com histórico de DA, mas sem apresentar os critérios para diagnóstico do transtorno; (G3) 14 bons leitores, utilizados como grupo controle. Avaliaram-se as seguintes habilidades cognitivas: inteligência, atenção, consciência fonológica, fluência verbal, linguagem receptivaauditiva, leitura e escrita. ANOVAs unifatoriais foram conduzidas e nos casos em que foram encontradas diferenças significativas entre os grupos, testes post hoc Bonferroni foram realizados. Os resultados apontaram que o grupo com DD apresentou maiores dificuldades em testes que avaliam a memória de trabalho e discriminação visual, além de erros específicos na leitura e escrita. Esse perfil cognitivo evidencia dificuldades específicas na leitura e nas habilidades cognitivas relacionadas a esse processo. Além disto, o estudo evidenciou a heterogeneidade do perfil de crianças com dislexia, bem como possíveis comorbidades com outros transtornos.