Artigos do Autor

2 resultado(s) para: José Maria Montiel

Percepção do suporte familiar e desempenho em leitura e escrita de crianças do Ensino Fundamental

Karina da Costa; José Maria Montiel; Daniel Bartholomeu; Camélia Santina Murgo; Nathalia Rodrigues Campos

Rev. Psicopedagogia 2016;33(101):144-163 - Artigo Original

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Este estudo tem como objetivo avaliar as relações entre suporte familiar e desempenho de leitura e escrita de crianças de 8 a 10 anos.
MÉTODO: A amostra preliminar contou com 102 crianças de 8 a 10 anos, com média de idade de 9 anos (DP=0,77). Todos os participantes são alunos de uma escola localizada em um município do interior do Estado do Maranhão. Os estudantes foram avaliados pelo Inventário de Percepção de Suporte Familiar e Teste de Desempenho de Escrita, Leitura e Matemática para o Ensino Fundamental.
RESULTADOS: Dentre os resultados da análise de regressão, tendo como variável dependente o desempenho em português e, independente, os fatores de suporte familiar, duas variáveis explicaram significativamente o desempenho em português, a autonomia familiar e a adaptação familiar.
CONCLUSÃO: Os resultados desta pesquisa mantiveram consonância com a literatura pertinente. Novos estudos poderiam realizar uma meta análise dos artigos sobre família e desempenho acadêmico com vistas a caracterizar quais as contribuições específicas de cada aspecto relacionado ao desempenho.

Percepção de professores do ensino médio acerca da motivação docente

Ygor Alexsander Patti; José Maria Montiel; Karina da Costa; Camélia Santina Murgo; Marjorie Cristina Rocha da Silva; Daniel Bartholomeu; Nathalia Rodrigues Campos

Rev. Psicopedagogia 2017;34(103):53-64 - Artigo Original

Resumo PDF Português

OBJETIVO: Este estudo tem como objetivo identificar a percepção de professores do ensino médio acerca da motivação docente.
MÉTODO: A amostra contou com 27 professores do Ensino Médio de ambos os sexos, sendo 15 participantes (55,6%) do sexo feminino e 12 participantes do sexo masculino (44,4%). A idade variou entre 24 a 68 anos, com média de idade de 46 anos (DP=11,80). A amostra foi coletada em duas escolas públicas estaduais da região metropolitana de São Paulo, sendo 13 participantes da escola 1 (grupo que corresponde a codificação de 1 a 13) e 14 participantes da escola 2 (correspondente a codificação de 14 a 27).
RESULTADOS: Os resultados demonstraram relações diretas com as expectativas e habilidades percebidas para a docência desde a infância, que os relatos dos docentes estão relacionados à falta de políticas públicas, que os docentes se queixam do desrespeito/descomprometimento dos alunos, especialmente havendo predominância da violência; este último aspecto é relacionado a geradores de frustrados docentes. Nisto é possível inferir que o aluno é percebido como foco da motivação docente.
CONCLUSÃO: A motivação docente resulta em práticas educativas efetivas, as qual tendem a ocasionar motivação nos alunos, ocasionando melhor desempenho escolar, e especialmente desenvolvimento de habilidades diversas como acadêmicas e sociais.