Artigos do Autor

2 resultado(s) para: Iuri Victor Capelatto

Relação entre recursos familiares e desempenho escolar de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de escola pública

Renata Ribeiro; Sylvia Maria Ciasca; Iuri Victor Capelatto

Rev. Psicopedagogia 2016;33(101):164-174 - Artigo Original

Resumo PDF Português

INTRODUÇÃO: É comum, no meio escolar, ouvir professores salientando que a família é a grande culpada pelas dificuldades dos filhos na escola; que bons alunos têm pais presentes e outros estímulos do ambiente que favorecem o bom desempenho acadêmico. Por esse motivo, a presente pesquisa objetivou avaliar os recursos do ambiente familiar e correlacioná-lo ao desempenho escolar de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de escola pública brasileira.
MÉTODO: Foram selecionados 23 alunos participantes do 5º ano, com idade média de 10,9 anos. Foram aplicados os instrumentos Teste de Desempenho Escolar (TDE) nos alunos e o Inventário de recursos do ambiente familiar (RAF), em forma de entrevista, nos pais dos alunos.
RESULTADOS: Nesta amostra, houve correlação positiva entre desempenho escolar e alguns itens do ambiente familiar, como posse de livros, revistas e brinquedos pedagógicos, passeios em família, atividades extraescoltares programadas e acompanhamento dos afazeres escolares.
CONCLUSÃO: Neste estudo, foi possível observar que crianças que recebem estímulos em casa apresentam maiores chances de obterem desempenho escolar satisfatório. Sugere-se que seja realizada uma futura pesquisa para que possa ser relacionado o desempenho escolar com os recursos do ambiente familiar nas esferas pública e particular, a fim de que se possa ter dados relevantes em relação à educação e a presença de recursos do ambiente familiar.

Relação entre autoconceito e autocontrole comparados ao desempenho escolar de crianças do Ensino Fundamental

Gabriella Conte; Sylvia Maria Ciasca; Iuri Victor Capelatto

Rev. Psicopedagogia 2016;33(102):225-234 - Artigo Original

Resumo PDF Português

Nos estudos das dificuldades escolares ou de aprendizagem, destaca-se a relevância de identificar quais as possíveis causas do não aprender, e, dentre essas, sabe-se que o aspecto afetivo-emocional influencia o desempenho escolar. Este estudo teve como objetivo identificar a relação entre autoconceito e autocontrole comparados ao desempenho escolar. Os participantes deste estudo foram 35 crianças (19 do sexo feminino e 16 do sexo masculino), de 8 a 11 anos, que estavam cursando o Ensino Fundamental I (3º a 5º ano) de uma escola particular em uma cidade no interior de São Paulo. Para a avaliação, foram utilizados os seguintes instrumentos: Teste de Desempenho Escolar (TDE); Escala Feminina de Autocontrole (EFAC) e Escala Masculina de Autocontrole (EMAC); Escala de Autoconceito Infanto-Juvenil (EAC-IJ). Os resultados apresentados permitiram concluir que, para a amostra estudada, quanto mais conhecimento o indivíduo tinha de si (autoconceito), maior foi seu autocontrole, e quanto maior foi seu autocontrole, maior foi seu autoconceito familiar, demonstrando a importância da família no estado emocional da criança, no desenvolvimento das regras e condutas e no autocontrole em geral. Além disso, o autoconceito pessoal estava diretamente relacionado à aprendizagem (e no desempenho em aritmética) e aos sentimentos e emoções da criança, assim como o autoconceito social influenciou no desempenho escolar e em aritmética, ou seja, quanto mais a criança conhece sobre si mesma, melhor é seu desempenho escolar e sua capacidade em lidar com as situações do dia-a-dia.